542a9f542c96b20201c38ab750882cb0.html ...| Fato e Ficção |...: 17 Outubro 2010

sábado, 23 de outubro de 2010

Globo perde exclusividade na transmissão do Campeonato Brasileiro


        Pois é...  parece que a "poderosa" está perdendo seus poderes a cada dia. Desde que sua maior concorrente, a "Recópia" começou a investir pesado na programação, a família Marinho não soube mais o que é uma boa noite de sono. E o mais novo pesadelo, foi a perda da exclusividade na transmissão dos jogos do Brasileirão.


O CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) decidiu na última quarta-feira, encerrar o contrato que dava prioridade à Rede Globo nas negociações sobre a transmissão da competição. O processo de investigação foi iniciado após suspeitas de uma possível atividade de cartel.

Até hoje, uma cláusula favorecia a Globo e permitia que a empresa cobrisse qualquer proposta melhor feita ao Clube dos 13, mesmo que fosse em sistema de envelope fechado. Com isso, a Globo vinha mantendo a exclusividade na transmissão do Brasileirão por pelo menos nove anos. Agora, deverá disputar de forma igual com todas as concorrentes. Quem fizer a melhor proposta, porém, terá exclusividade. (Fonte: Revista Exame)

Quem vocês acham que fará a maior proposta a partir de agora? Nem precisa dizer que tem um dedo da Record nisso tudo, mas de qualquer forma, foi bom isso ter acontecido. Durante anos a Globo detém direito de transmissão e escraviza o telespectador com seus horários surreais para transmissão de jogos. Ou vocês acham muita coincidência que o jogo comece logo após a novela das 8 (que na verdade começa às 21:00)?


Veja também:



quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Computadores.... quem é que precisa deles..?


         Ao travar uma intensa batalha com meu PC hoje, lembrei de uma célebre frase sempre dita pelo meu grande amigo Anselmo do Aleatorium. Fiz uma adaptação porque percebi que se aplica perfeitamente, e também para me retratar pela "jabuzice" que cometi no blog dele.
                                                                                                                                                                           
                                                                                                                         



"Mulheres e computadores só servem pra duas coisas:
Fazer raiva e fazer falta..."

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Novo filme de José Padilha, cineasta de Tropa de Elite, estreará em 2011


         José Padilha já colocou em andamento o seu novo projeto intitulado Nunca na História Deste País, o qual vai levar a público o maior escândalo da história do Brasil: o caso do mensalão do PT, ocorrido em 2005. O processo, envolvendo 40 conhecidas figuras políticas, se arrasta no Supremo Tribunal Federal, sem previsão de julgamento. O cineasta garantiu já ter conseguido 1 milhão de reais liberado pelo BNDES. A previsão para para conclusão do filme é até o final de 2011.


Fiquei sabendo que a Câmara dos Deputados não liberou as gravações de “Tropa de Elite 2” nas suas dependências, segundo informações divulgadas pela Folha de São Paulo. A produção do filme decidiu pedir para gravar no plenário porque teria em seu roteiro a presença de um deputado corrupto.
De acordo com informações da Folha, Padilha contou que a produção entrou em contato com a Câmara entre o final do ano passado e o início deste ano para solicitar a liberação do espaço, mas nunca obteve resposta. “Disseram que foi Michel Temer (presidente da Câmara) quem barrou, a pedido da bancada do Rio. Eu preferi não acreditar”, revelou ao jornal.
Esse trecho foi extraído do blog Terra de Cego


Falou em deputado corrupto, rapidinho eles arrumam um desculpa para não liberar o espaço (o pedido não foi aceito por se tratar de um espaço destinado a "discussões políticas"). Mal eles sabem que o filme foi mais politico do que qualquer outra coisa. Quando os podres do mensalão forem revelados com o mesmo rigor e convicção que as verdades em Tropa de Elite, vão querer instaurar a ditadura novamente. Já estoupensando na polêmica.   Como diz o famoso ditado, "Quem não deve, não Temer..."   (foi pessima essa né..).


Veja também:

Burger King é bom, mas...


         Ontem, depois de ter saído do cinema, onde assisti a carneficina do Tropa de Elite 2, eu e minha digníssima fomos andando pelo shopping em busca do rango. Eu já sabia que era fast food, a nossa comida oficial em shoppings, principalmente depois de cinema. Eu já estava convencido de que seria Mc Donald's e já estava sentindo o gosto do cheddar na boca, quanto então....   eis que no meio do caminho eu tropecei no Burger King. O primeiro restaurante da rede que vi foi o do Barra Shopping (você saberá qual foi a ironia do destino), e achei o lugar mega sofisticado para oferecer hamburger. Mas de qualquer forma pensei "um dia vou comer aí pra ver se é bom". Mais de um ano depois eu entro no lugar. Já percebi a diferença nas roupas dos funcionários, quase que em sua totalidade, de cor preta (discretos); as meninas bem arrumadas e maquiadas, nada daquela fantasia do palhaço Ronald. Fui recebido com um simpático "boa noite" e ao citar meu pedido, a atendente, com um palm top, registrou os lanches e me deu um cartão, precisando apenas apresentar no caixa e pagar. Rapidamente o lanche já estava pronto me esperando. Só não entendi o motivo de o refrigerante ser pego em um balcão separado, mas tudo bem.


         Meu sanduíche era composto de 2 carnes, alface americana, molho especial, pickles, cebola e queijo.
O hamburger era bem temperado, muito diferente do Mc, onde a carne parece que foi temperada com água. A batata assemelha-se à do KFC: se não comer logo, ela fica incomível, mas enquanto quente é gostosa. As embalagens são de papel (nada de papelão), mas vendo pelo lado sustentável da coisa, não foi tão mal.
Todo lanche custou R$ 15,00. A comida me satisfez, o ambiente é agradável e o atendimento bom. Saí com a sensação que voltaria. Mas....
         Cheguei no trabalho contando da façanha e uma colega me contou algo que eu não sabia. Agora entenda a ironia da qual eu mencionei no início:

"O Burger King decidiu investir pesado em seu novo Whopper 3 Queijos no Brasil. Para isso, lançaram uma nova campanha dizendo que, agora, todo o queijo (do mundo) está na sua lanchonete. Mas... para variar, a "Lei de Murphy" entrou em ação e, na sexta-feira passada, uma operação de vistoria da Vigilância Sanitária constatou que 90% do queijo utilizado nos sanduíches do Burger King do BarraShopping (um dos mellhores shoppings do Rio de Janeiro) estava VENCIDO (!!!).
O gerente da lanchonete teve que depor na delegacia, o proprietário foi indiciado e a notícia se espalhou.
Por coincidência, o caso do queijo do Burger King, assim como na fictícia propaganda, virou realmente caso de noticiário (saiu até no Fantástico de ontem)."
Pois é. Todo queijo do mundo está no Burger King, até o queijo estragado. Talvez eu volte.

    Tropa de Elite 2 - O fato disfarçado de ficção


             Ontem tive a oportunidade de assistir, no cinema (é importante dizer isso), o tão comentado “Tropa de Elite 2 – O inimigo agora é outro”.  Sábias foram as palavras informadas no início do filme: “Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência”.  Fico imaginando que, se não tivessem colocado essa advertência e o filme fosse em 3D, metade dos espectadores teria corrido, pois as imagens são bem fortes e realistas.

    tropa de elite 2, o inimigo é outro, contra milicia, seu jorge bandido, tropa de elite corrupção, deputado corrupto


             Ao contrário de muitos filmes de sucesso, o Tropa 2 pegou uma carona no sucesso do primeiro filme mas não decepcionou. Pelo contrário. Saí do cinema satisfeito com o que vi e com uma certa ansiedade para saber como poderia ser o suposto Tropa de Elite 3. O primeiro combateu a bandidagem, o segundo combateu as milícias. Mas e o terceiro? Acho que isso é que será um desafio para os produtores caso queiram prosseguir com essa saga.

             Outro ponto que despertou ira na platéia, mas ao mesmo tempo um sentimento de mudança, foram as revelações bombásticas sobre o submundo da política, não só no Rio de Janeiro, onde a trama é desenvolta, mas em proporções nacionais. Não tenho dúvida de que a frase dita no início pelo autor também diz respeito a esse assunto.  É um jogo de interesses tão bem tramado e consistente, que não poderia ter sido obra de ficção. Como disse o personagem de Wagner Moura, "No Brasil, eleição é negócio e o voto é a mercadoria mais valiosa da favela."

             Uma das cenas mais emocionantes, ocorreu no final, quando o Coronel Nascimento, diante de tantos deputados na câmara, disse tudo aquilo que a maioria da população brasileira tem vontade de dizer mas não tem oportunidade. Isso lavou a alma.

    Os senhores me desculpem o que vou dizer aqui, mas a PM do Rio de Janeiro tem que acabar...

    ...metade das pessoas que estão aqui deveriam estar na cadeia...  ...acho que metade é pouco.. aqui devem se salvar uns 6 ou 7 que tem ficha limpa.”

    Faca na caveira, coronel! 


    Veja também: 

    segunda-feira, 18 de outubro de 2010

    Cultura inútil


           Libano confeccionou uma bandeira de 65 mil metros quadrados para entrar para o livro dos recordes.
    De acordo com o porta-voz do exército libanês, a bandeira foi construída no Kwait e montada no Líbano.
    O atual recorde era do Marrocos, que neste mesmo ano havia apresentado uma bandeira de 60 mil metros quadrados.

    Fonte: G1 

     A bandeira do Marrocos mede 60.000m² e pesa 20 toneladas, no entanto, segundo o Guinness, Israel é o atual recordista, com 66.000m².


    Fico pensando quanto dinheiro gastaram para construir esse altar à vaidade nacional. Se o Lula faz uma besteira dessa, com tanta gente passando fome pelo Brasil, íam fazer ele engolir a bandeira. E convenhamos que os países participantes não são exemplo econômico para o mundo. Não figuram nem entre os 50 melhores PIBs do mundo.


    --- Para ver as bandeiras de Marrocos e Israel, clique no botão abaixo: ---


         • Marrocos

         • Israel

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...